domingo, 3 de outubro de 2010

Vitória Venâncio



Ela era branca como a neve, tinha os cabelos negros como a noite, mas não era a branca de neve. Talvez penderia mais para o lado da madrasta má, com uma maçã envenenada, mas na qual ela envenenava a todos com seu jeito de ser, e era assim, como um veneno, enfeitiçava a todos ao seu redor.
Não, ela não era do tipo que forçava simpatia, e nem que era hipocrita, só para agradar alguém.
Ela era bem diferente por sinal, gostava de bandas que a maioria não gosta, era diferente da sua juventude, tinha um estilo diferente, e um jeito caracteristico de ser. Não vou falar em padrões, isso era algo que ela não gostava de seguir. Usava óculos de sol para ficar em casa e sair a noite. Gostava de sair na chuva e o que pela sociedade era mau visto, aos olhos dela era bem conviniente. Ela não era fofa, estilo menininha, não gostava de rosa, não era o biotipo idealizado pelos garotos, pelo contrário, ela gostava de preto, tocava violão, e vodka era de seu agrado. Mas era exatamente por esse jeito que as pessoas se apaixonavam.
Conquistou muitas pessoas, e não se sabe ao certo quantos corações, só se sabe que o meu, de fato, sempre será um pouco seu.

Um texto meu dedicado á minha amiga, que amo muito, Vitória Venâncio.
Blog dela: http:verdadesobreanostalgia.blogspot.com/

Um comentário:

  1. que niiindo
    nunca fizeram isso pra mim mimi .___.
    Amo muito você, paçoca s2

    ResponderExcluir